Histórico Casa da Fraternidade

 

A Instituição Espírita Casa da Fraternidade foi fundada em 08/11/1987, com apoio do Movimento Espírita do Sul de SC. É uma organização não governamental, filantrópica, de caráter assistencial, educacional e cultural, certificada no Conselho Nacional de Assistência Social para atendimento à criança e ao adolescente e sua família, em Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos.
 
A Instituição funciona numa área de 1895 m2, com área construída de 650 m2. Tem uma pequena recepção, uma sala para 50 pessoas, onde ocorrem as palestras e aulas de valores humanos, uma pequena sala para entrevista, uma sala de atendimento para psicóloga e psicopedagoga, uma sala de reunião, que também é usada para aulas de xadrez e espanhol, uma cozinha e refeitorio para 40 crianças, um salão de oficinas com palco para aulas de canto, musicalização, capoeira, balé e teatro e uma outra casa que foi reformada no pátio, onde funciona a biblioteca, a sala de informatica, uma pequena sala de artes e uma sala de reforço escolar para 4 crianças. Ainda temos um escritório, 02 banheiros e uma área coberta para recreação.
 
--------------------------------
 
O Início
 
Em meados de 1987 um grupo de trabalhadores do Centro Espírita Luz, Paz e Caridade (Rosangela, Aurelio, Becker, Valdir) decidiram fundar uma creche no Bairro Lagoão. O projeto deu inicio à Instituição Espirita Casa da Fraternidade, onde durante o dia, na sede, funcionava a Creche Meimei, que atendia 35 crianças e durante as noites de quinta-feira na sala principal aconteciam as reuniões de estudos espíritas.
Em 1990 houve uma comunicação mediúnica no Centro Espírita Seara de Jesus (do espírito José) que veio confirmar a característica assistencial da instituição.
 
Mas em 1993, passados cinco anos, após inúmeras dificuldades de manutenção, os principais responsáveis (Rosangela J.Soares e Aurélio Soldatelli) mudaram de cidade e a instituição ficou aos cuidados do CRE-09 - Conselho Regional Espirita, presidido na época por Aramis Boritiyca, que em seguida também acabou tendo que se deslocar para outra cidade, por motivos profissionais. Assumiram então a Direção da Instituição a presidente do Centro Espirita Luz, Paz e Caridade (Dona Ivone), que passou a indicar os diretores e trabalhadores das reuniões de estudos espíritas, que aconteciam nas noites de quinta-feira.  Assim a Creche Meimei passou aos cuidados da prefeitura até o ano de 1999, quando foi eleita a primeira diretoria da Instituição Espirita Casa da Fraternidade, composta por moradores do bairro (Catia Hahn, Edson Ribeiro, Luciani Teixeira e Alex Gomes) e os senhores Aristides e Paulo de Tarso, do CELPC, que vinham dar apoio nos estudos.
Nesta época, o bairro era ainda muito pobre, assustava a quem chegava. Havia muita briga e confusão quase todos os dias na frente da Casa. Não tinha iluminação nas ruas, as casas eram quase todas barracos de madeira. A estrutura material da Casa era péssima, além de muito pequena, não comportava o numero de atendidos na Creche, que era em torno de 100 crianças. Quase tudo quebrado, o mato tomando conta de tudo e os usuários de drogas se reuniam na calçada e até mesmo dentro do pátio.
 
Mas desde 1997, que aos sábados, o jovem Alex Gomes (hoje esposo da Catia Hahn) ensaiava uma peça de teatro (Julinho, O engraxate) com adolescentes do bairro e o grupo de trabalhadores espírita decidiu realizar um trabalho de grupo de mães, com ensino de costura, atividades manuais e recreação infantil.
 
Em 2000 a nova Diretoria conseguiu uma pequena verba de R$ 5.000,00 para a reforma da Casa. A Prefeitura decidiu construir outra creche em terreno próximo e transferiu todas as crianças para lá. Foi quando, com ajuda de voluntários da comunidade, o grupo espírita reformou o prédio. 
Em junho de 2001 iniciaram-se as atividades do novo projeto “Juventude Luzes do Amanhã”, um trabalho sócio-educativo, no contra-turno escolar, com aulas de teatro, dança, canto, musicalização, recreação e aulas de valores humanos para 120 crianças acima de 07 anos, de segunda a sexta. 
E também as atividades do Projeto Renascer, com a confecção de enxovais de bebê para gestantes, com mulheres voluntarias.
Aos poucos, novos voluntários chegaram. E como muitas crianças tinham necessidades alimentares, passou-se a oferecer, além do lanche, almoço para alguns assistidos.
 
Em 2002 Alex e Catia fundam a Cia Teatral Bocarela das Palavradas, uma alternativa financeira, já que ambos eram voluntários na instituição. A Cia passa a se apresentar em teatros, escolas, prefeituras e empresas e também com os recursos angariados, ajuda a manter a instituição.
Em 2003 já tínhamos a contribuição de médicos, psicólogos e psicopedagogos. Decidimos então dividir o projeto em Ações Sócio-Educativas e Culturais, Ações Familiares e Comunitárias. Ja aplicavamos os princípios de Pestalozzi e os Valores Humanos de Sathia Sai Baba.
 
Aos poucos a instituição foi ampliando, adquirindo reconhecimento, contratando novos funcionários e pessoal técnico e as atividades passaram a ser mais elaboradas e direcionadas. O Grupo Luzes do Amanhã, a cada ano, monta novas peças com as crianças, entre elas o sucesso de publico “O Fantasminha Camarada”.
Em 2009 o Projeto Juventude torna-se "Ponto de Cultura" pelo Ministerio da Cultura. E a Cia Teatral Bocarela das Palavradas formada agora pelos alunos do projeto realiza mais de 50 apresentações do espetáculo “O Enfermeiro” e participa de vários Festivais e Mostras regionais e Nacionais. A partir de 2011 surge o Projeto Cinema na Comunidade com o Programa Cine Mais Cultura. 
 
E é criado o Grupo Vocal Vozes do Amanhã, que passa a representar a instituição em diversos locais, dentro e fora da cidade.

E, em 2012 o Projeto Juventude foi selecionado pelo Criança Esperança. 
Abriram-se novas oficinas durante a semana, como aulas de ballet clássico, artes visuais, violão, musicalização, flauta, teclado, informática, capoeira, artesanato, teatro e canto coral, bem como a realização das aulas de ética e cidadania e reforço escolar, oferecidas em até três períodos no Projeto Juventude, além das atividades de integração comunitária. 
 
Desde 2013 iniciamos um trabalho de integração entre os trabalhadores do Centro Espírita e os atendidos pelos Projetos da instituição, com almoços mensais.. Nasce o Projeto Almoço com Jesus, com várias atividades de integração, desde Evangelização Infantil, Campanha Alta de Souza, Doação de roupas e Bazar, Livraria e Palestra, tudo culminando com o almoço de Confraternização. Isso fez com que novos voluntarios do movimento espírita passassem a contribuir mais com os trabalhos assistenciais da Casa da Fraternidade.
 
 
 
Em 2014 a instituição ganha pela segunda vez o Criança Esperança. 
É Semifinalista do Premio Itaú Social, Ganha o Premio Bibliotecas Comunitárias da Fundação Biblioteca Nacional e em 2015 com o apoio do Ministerio do Trabalho inaugura a nova sede do Projeto Biblioteca Comunitária Semeadores do Futuro. 
Mas em Agosto de 2015 desencarna Alex, com 38 anos. Catia Hahn ainda continua presidente do Centro Espírita Casa da Fraternidade e ainda preside e coordena os trabalhos assistenciais da Instituição Espirita Casa da Fraternidade de forma voluntaria.  
  
 
Em 2016 inicia o ano com um novo projeto de construção de uma Padaria-Escola. E depois de 29 anos de atividade recebe o Titulo de Moção Honrosa pela Camara de Veredores de Araranguá.
 
Hoje a instituição vem realizando ao todo 17 projetos, num conjunto de ações sistêmicas, que garantem um olhar pontual quanto ao ser humano, num processo amplo e multiplicador de ações de promoção social, prevenção da violência, diminuição de danos ou risco social e preparação para o mercado de trabalho. Com uma proposta educacional, pautadas nos pensadores Pestalozzi e Paulo Freire, quando valorizam a liberdade de expressão, a construção de pensamento crítico, autonomia, responsabilidade e cidadania em seus princípios e nas idéias de Delors e Sathia Sai Baba na defesa da valorização do SER através de uma Educação em Valores e Direitos Humanos vem contribuindo com a educação integral dos assistidos. Vem adotando como lema “Admitir a hipótese de que cada ser humano traz em si potencialidades a serem desenvolvidas é admitir a idéia de permanente transformação”.

A Instituição já mudou a vida de milhares de pessoas, pois já atendeu mais de 6 mil crianças e seus familiares. Muitos que viviam na favela hoje são administradores, advogados, professores, cidadãos na sociedade. Formou músicos, atores, artistas que levam a cultura pela região a fora e principalmente homens e mulheres de bem.

Para o futuro anda alimentamos o sonho de reabrir a Creche Meimei e fundar a Escola Integral "Allan Kardec".
Se vamos conseguir, só Deus o sabe...

 



 Mesagem Irmão José Reportagem

Apoiadores

Parceiros que nos auxiliam na execução de nossos projetos